Mídia

Mídia
Articles

Próxima seção

Mercado tem leve melhora, mas incertezas permanecem

Mídia

07/04/2021 às 05h01

Mercado tem leve melhora, mas incertezas permanecem

 

Dólar cai abaixo de R$ 5,60, mas Ibovespa sofre com rotação de papéis

Por Lucas Hirata, Marcelo Osakabe, Victor Rezende e Felipe Saturnino | Para o Valor de São Paulo


Sinais de melhora que começam a despontar no conturbado ambiente local trouxeram algum alívio aos ativos domésticos no pregão de ontem. Como resultado, o dólar voltou a cair e fechou abaixo de R$ 5,60 pela primeira vez em duas semanas. Já o Ibovespa ensaiou se manter azul, mas acabou o dia praticamente estável, influenciado por um movimento de rotação nas carteiras que acabou penalizando os papéis de bancos, com peso relevante no índice.

Depois de romper brevemente a marca de 118 mil pontos durante a sessão, o Ibovespa acabou entregando os ganhos e fechando em queda de 0,02%, aos 117.499 pontos. Já a moeda americana caiu 1,42% e fechou a R$ 5,5988, o menor patamar desde 23 de março.

Como pano de fundo para uma postura ligeiramente mais otimista, está a perspectiva de uma resolução para o impasse do Orçamento, bem como a ação do presidente Jair Bolsonaro para tentar resolver entraves à importação da vacina Sputnik e comentários proferidos pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.


Em dois eventos, o dirigente admitiu que a explicação para o impasse envolvendo o Orçamento “não foi boa e criou incerteza” em um primeiro momento, gerando um prêmio na curva de juros. Por outro lado, reiterou o plano de fazer um ciclo de altas da Selic mais intenso no início e, assim, de menor duração.

“Os comentários de Campos sempre ajudam a acalmar o mercado, mais até que de outros membros do governo”, diz Italo Abucater dos Santos, gerente de câmbio da Tullett Prebon. “Embora não tenha feito nenhuma fala muito diferente, ele ajuda a dar conforto principalmente na curva de juros, que tem sido um gargalo maior que o próprio câmbio”, acrescenta.

Em relação à bolsa, juntamente com o desempenho de papéis ligados a commodities, há uma busca por barganhas diante da expectativa de que o cenário volte a melhorar em relação à pandemia e à oferta de vacinas nos próximos meses. Isso tem beneficiado papéis mais fortemente prejudicadas pela pandemia e que poderão ter um desempenho melhor no caso de uma reabertura econômica, como turismo, aéreas e shoppings.

“Conforme a vacinação acelere no Brasil nos próximos meses, nomes relacionados à reabertura podem começar a ter um desempenho superior [ao resto do mercado] da mesma forma que ocorreu nos EUA há dois meses”, dizem os analistas do Bank of America (BofA), em nota.

No caso americano, eles citam o forte desempenho de shoppings e aéreas desde a melhora do processo de imunização. Já no Brasil, as ações de companhias aéreas, turismo, restaurantes, shoppings e também pequenos bancos são os maiores retardatários desde o início da pandemia, enquanto a distribuição de combustível se manteve melhor.

Para o diretor de investimentos da TAG, Dan Kawa, ainda é preciso esperar alguns dias para verificar a evolução de casos e óbitos por covid-19 no país. O profissional ressalta, porém, que há uma “mudança incipiente” de postura do Executivo no que diz respeito ao discurso sobre a pandemia. “A constante deterioração na avaliação do governo pode explicar essa mudança de retórica pelo presidente”, diz.

Essa perspectiva mais otimista, no entanto, ainda encontra dificuldades para deslanchar. Sem um gatilho evidente e com incertezas fiscais ainda robustas, o mercado recorre justamente à rotação na carteira, dizem gestores. Ontem, foi este movimento que penalizou os papéis dos bancos e, com isso, ajudou o Ibovespa a encerrar praticamente estável. Bradesco PN e Itaú PN, por exemplo, recuaram 1,58% e 1,17%, respectivamente.

Outro ponto de preocupação é a trajetória da Selic. Os analistas do BofA alertam que o “Brasil corre o risco de perder impulso com a reabertura, já que as taxas futuras provavelmente tenderão a subir e o ruído político deve aumentar à medida que os participantes do mercado começarem a discutir as eleições presidenciais de 2022”. O banco trabalha com um juro básico de 5% no fim do ano.

Restam, por fim, dúvidas a respeito de qual será o futuro dos setores mais afetados pela pandemia após a correção de curto prazo. Segundo um gestor ouvido pelo Valor, incertezas sobre qual será o novo padrão comportamento de empresas e consumidores também o levam a agir ainda de forma tática alguns desses papéis.

No mercado de juros, por sua vez, o pregão foi dominado por fatores técnicos, em especial, o leilão de papéis atrelados à inflação pelo Tesouro Nacional. O órgão colocou 2,75 milhões de NTN-Bs para três vencimentos. e o volume financeiro aceito no mercado saltou de R$ 7,98 bilhões na semana passada para R$ 11,46 bilhões ontem. Assim, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 passou de 4,61% no ajuste anterior para 4,63%, enquanto a do DI para janeiro de 2027 subiu de 8,78% para 8,80%.

TAG Investimentos
TAG Investimentos
TAG Investimentos
TAG Investimentos
SÃO PAULOAv. Brig. Faria Lima 3311 - 12º andarItaim Bibi - São Paulo - SPCEP: 04538-133Telefone: (11) 3474-0000
PORTO ALEGREAv. Carlos Gomes, 300 - 7• andar
Bairro Três figueiras,
Porto Alegre, RS
CEP: 90480-000
Copyright © 2016, TAG. Todos os direitos reservados.

As informações no presente material são exclusivamente informativas. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Ao investidor é recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e do regulamento dos fundos de investimento ao aplicar seus recursos. Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador, do gestor, ou ainda do futuro garantidor de crédito - FGC. Para s avaliação da performance de um fundo é recomendável uma análise de no mínimo 12 meses. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos; para mais informações sobre produtos e risco de fundos, entre em contato com nossa Central de Atendimento.